ROI – Retorno Financeiro

Os períodos iniciais da Medição dos Benefícios devem absorver os valores totais do desembolso. É a AREA 1 negativa, que corresponde ao valor investido à ser retornado, devolvido pela ÁREA 1 positiva como "retorno" do desembolso ou produzido por um investimento, ver gráfico abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A seta “PAY BACK” mostra quando ocorrerá o MÊS do Prazo de Retorno sobre o Investimento (ROI em ? meses).

A entrada de ganhos* quantificados acumula valores que pagam: Desembolsos efetuados, valores saidos "verba do caixa" sem entrar ganhos ou benefícios. Porem todo o investimento, será pago no prazo do ROI, isto é quando a ÁREA 1 positiva ficar igual a área 1 negativa, é a igualdade do valor acumulado no tempo.

IMPORTANTE: Os BENEFÍCIOS SOMENTE INICIAM após o a estabilização do uso da nova solução, por isso esse periodo inicial é de forte Desembolso, porem os GANHOS REAIS ocorrem após o PONTO DE EQUILIBRIO, onde se inicia a medição do Ganhos (ou Retornos) consequencias do equilibrio das áreas 1, na linha do tempo, esse ponto é o "Pay Back" e que pode mostrar muita SOBRA verba, isto é: são ganhos após o pay back e até o fim do prazo da vigência contratual da solução adotada. 

Exemplo: Projeto contratado em 60 meses, com desembolso sem Ganhos Mensuráveis por 10 meses (6 para a formatação ou contrução + 4 para estabilização), que mostrou um ROI de 29 meses. Isto é pagou-se tudo o que foi gasto em 29 meses, mas o contrato do projeto é de 60 meses (já pagos), porem a Empresa continua trabalhando e na Visão do TEMPO esses 31 meses estão gerando GANHO RECORRENTE (área dourada do grafico). Refaça este estudo com 2 periodos Contratuais para maior compreenção do Modelo SaaS e ROI que é extremamente atraente e de ganho real.


(*) = GANHOS RECORRENTES no Prazo Contratual da Solução (ver imagem DOURADA no gráfico abaixo).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A área dourada acima está representando a condição máxima e ideal possivel do Estudo de T.C.O., onde a reta 1 ou linha tracejada verde, foi totalmente absorvida em seu valor gerado pela economia produzida sobre os custos fixos de infraestrutura atuais, ganhos por melhoria no remanejamento dos custos fixos e ocultos internos do Cliente (este de qualquer porte). 

Na verdade essa linha 1 (verde) não zera custos. Pois a Gestão de TI e seus recursos internos são otimizados, mas preserva-se a figura do responsável pela área de TI, funcionarios (funcionalidades estrátégicas) à cada Enpresa / Negócio envolvido. 


(*) = Benefícios Diretos iniciam pelo reconhecimento dos seus Clientes, onde sua Marca faz diferença e isto o mercado percebe rapidamente pela governança oferecida. Deixa-se de estimar "sem" planejamento, um maior profissionalismo do pessoal (todos os níveis), rapidez nas ações e atitudes internas que evitam falhas recorrentes, além da valoração da Empresa frente ao Mercado (Bolsa ou  acionistas).

(*) = Benefícios Indiretos pela sua maior assertividade: em prazos, orçamentos, menos ruptura (faltas) de material fundamental ou seus componentes, menos reclamações, esses são exemplos de impacto mensuráveis, reconhecidos pelos Clientes.


Assim o “Resultado“ do Cliente é que nos recomenda à outros Clientes interessados em melhorar seus negócios, onde num exemplo real, a área dourada representou Ganhos 10 vezes o valor do desembolso (àrea 1).  Faça seu estudo e comprove.

Podemos simular (em planilha) o seu ROI